Devocional

Saúde Espiritual...

6/5/2010

0 Comentário(s)

Imprimir artigo

 

“Qualquer pessoa que se alimenta de leite é inexperiente na palavra da justiça, pois é criança. Mas o alimento sólido é para os adultos que, pela prática, têm suas faculdades morais exercitadas para distinguir entre o bem e o mal”. (Hb 5.13, 14)

O cristão é aquela pessoa que nasceu de novo e que agora está num processo crescente de vida espiritual. Tal crescimento pode ser atrofiado pela subnutrição como qualquer outro organismo vivo. Em outras palavras, come alimento desapropriado para a idade ou alimento pobre para o momento de sua vida. Neste sentido, pode estar atrasado em seu desenvolvimento espiritual.

O crescimento saudável necessita de condições favoráveis para produzir uma vida espiritual forte e vigorosa. Neste sentido, a falta de ensino adequado, a ausência da busca efetiva pelo alimento espiritual e o abandono de uma vida disciplinada de devoção atrofiará o crescimento cristão.

Quando a verdade não é proclamada em sua plenitude, certamente se produzirá um correspondente tipo imperfeito de cristão, a saber, os que não têm suas faculdades exercitadas para discernir o bem e o mal, pois não tem forças para tal prática.

É por isso que o escritor aos Hebreus afirma que há os que ainda são crianças, ou seja, inexperientes na palavra da justiça. Estes deveriam ser adultos, mas se atrofiaram no processo de crescimento pelo simples fato de ainda se manterem no leite. O alvo de todo o cristão é se tornar maduro e para isto precisa se alimentar do alimento certo.

Como está nossa geração de cristãos? Precisamos avaliar se nossas práticas são bíblicas ou antibíblicas. Necessitamos refletir se nossas ações podem ser justificadas á luz das verdades eternas.

As instruções alheias ás Escrituras Sagradas, bem como a condução de baixos padrões morais têm levado muitos cristãos a uma existência subdesenvolvida e subnutrida. Há crentes que passam da adolescência para a adulta num estado de crescimento suspenso.

Há algo que não podemos fazer: medir nosso nível de espiritualidade por nós mesmos, pois isto ofuscará a busca pelos lugares mais elevados. Isto se dá pela quase ausência de referenciais.

Outra coisa que temos que tomar atenção: não podemos imitar o mundo na busca pelo favor popular. Não devemos copiar o sistema na manipulação do sagrado, pois o resultado será a produção de poder barato que substitui o poder do Espírito Santo, como disse certo pregador, o vaga-lume toma o lugar da sarça ardente.

Deus está interessado na formação de santos, pessoas em crescimento espiritual sadio, suja vida e prática cristã falam tão alto quanto suas palavras. A igreja deve propor condições para o cristão cheguar em sua fase adulta.

Que possamos compreender que crescimento espiritual vem do alimento sólido que o próprio Deus provê: pregação da Palavra, ensino bíblico efetivo, profecia, meditação. Tal suprimento produzirá cristãos melhores, que buscam uma santidade real, que permanecem num estado de pureza de coração, que manifestam um amor impetuoso, que se separam deste sistema mundano pernicioso e que, finalmente, transbordam devoção à pessoa do nosso Senhor e salvador Jesus Cristo.

Ao nosso Deus toda adoração! Amém.

 

  • 0 COMENTÁRIO(S)

Seja o primeiro a comentar.

 

  • DEIXE SEU COMENTÁRIO

[máximo 1000 caracteres]

Você já digitou: 0 caracteres.

 

  • AUTOR

Marcos de Almeida

Marcos de Almeida

Mestre em Ciências da Religião pela Universidade Presbiteriana Mackenzie (2007), possui graduacão em Teologia pela Universidade Presbiteriana Mackenzie (2005) e graduacão em Teologia pela Faculdade Teológica Batista de São Paulo (2004), atuando principalmente nos seguintes temas: Grego Koinê; teologia bíblica e sistemática, hermenêutica, história do pensamento cristão, teologia da missão integral da igreja, cristianismo e meio ambiente, ecologia e educacão cristã. É um dos pastores da IBEC - Igreja Bíblica Evangélica da Comunhão e é casado com Ivelise.

 

  • VEJA MAIS ARTIGOS DESTE ARTICULISTA